IGTI Blog
SQL

5 motivos para você aprender SQL

Você entende a importância que a linguagem SQL tem na vida do profissional de TI? Conheça 5 motivos para aprender a linguagem de consulta estruturada.

Todo profissional de TI já ouviu falar sobre SQL, Structured Query Language, ou linguagem de consulta estruturada, em português. Quando os Bancos de Dados Relacionais estavam sendo desenvolvidos, foram criadas linguagens destinadas à sua manipulação. O Departamento de Pesquisas da IBM desenvolveu a SQL como forma de interface para o sistema de banco de dados relacional denominado SYSTEM R, no início dos anos 70. Em 1986 o American National Standard Institute (ANSI), publicou um padrão SQL. Desde então, a SQL estabeleceu-se como a linguagem padrão de Banco de Dados Relacional.

Considero que a linguagem SQL seja um dos conhecimentos pilares de um profissional que atua na área de tecnologia, mesmo que não lide diretamente com banco de dados. ‘Mas Ezequiel, a pessoa precisa saber SQL mesmo sem trabalhar com banco de dados?’ Sim, acredito que conhecer as aplicações da linguagem e o seu potencial fazem com que o profissional seja mais completo, ao menos na minha visão. Você pode não concordar comigo, mas vamos lá, lhe darei cinco motivos para que você tenha a SQL como uma skill no seu currículo.

  1. Linguagem simples e padrão: Pode parecer clichê, mas não é. A linguagem SQL já é utilizada por algo em torno de 40 anos e teve poucas mudanças. Ela é uma linguagem estável e que se adapta às evoluções das outras linguagens. Com isso a sua essência não precisa ser alterada. SQL é uma linguagem declarativa: nós especificamos apenas QUAL resultado desejado, deixando o trabalho de COMO obter as otimizações para o SGBD. Ao longo do tempo e com experiências anteriores nossas consultas ficam cada vez melhores.
  2. SQL está em “todo lugar”: Independentemente da linguagem de programação que você vai se especializar: linguagens de Banco de Dados como PL/SQL e o T-SQL, linguagens orientadas a objetos como Java ou alguma do pacote .Net. Você precisa se comunicar com uma base de dados. E o conceito base para isso são os princípios de SQL.
  3. Lógica de Programação e SQL “andam juntas”: Entender a sintaxe e a forma de funcionamento de um SQL, sem dúvidas nos dá a capacidade de enxergar vários tipos de situações de maneira diferente. Ao lidar com soluções que não se limitem às linguagens que você conhece, você se torna um profissional com a mente mais aberta e com soluções mais inteligentes.
  4. Por que ser um DBA? Para administradores de bancos de dados – conhecidos como DBAs (Database Administrators) – as oportunidades do mercado são cada vez maiores. Estes profissionais são responsáveis por gerenciar, instalar, configurar, atualizar e monitorar um banco de dados. Óbvio que assumir um cargo de tal importância, exige dedicação e certificações! Quem sabe você começa a estudar e a ver a área como um novo horizonte na carreira?!
  5. Você terá um diferencial! Você é mais um que diz saber da linguagem mas sabe o “básico do básico”? Tome cuidado, fecho com esse motivo pois vejo constantemente pessoas que se dizem DBAs mas na prática não é bem assim. O SQL é uma linguagem complementar e um requisito básico que todo programador deve saber, e quanto mais você estudar, melhor colocado e bem visto no mercado você vai ser. Vale lembrar que esse diferencial deve ser “encorpado” com outros elementos, como: um bom inglês (de preferência fluente),  networking com profissionais da área (participe de eventos) e se estiver no começo da carreira busque oportunidades  visando aprendizado, o financeiro é consequência de sua competência e reconhecimento.

E então, o que achou? Deixa um comentário que terei o maior prazer em debater esse assunto com você. A disciplina de “Aplicações da linguagem SQL” no MBA de Banco de Dados, no MBA de Engenharia de Dados, mostra como a linguagem SQL pode ser utilizada em diversos cenários corporativos e empresariais. E fornece uma base para os profissionais que têm interesse  em aprender mas não que têm tanta vivência no dia a dia com a linguagem. Os cursos de modo geral tem como objetivo colaborar para a formação do arquiteto de dados e do administrador de banco de dados (DBA).

Professor autor: Ezequiel Mendes Duque