IGTI Blog
Inteligência de negócios: Os desafios profissionais de um profissional da área

A carreira de um Analista de Business Intelligence

Inteligência de negócios é uma especialização muito valorizada pelo mercado. Entenda seus desafios e diferenciais

No mundo globalizado digital o bem mais precioso é a informação. As organizações estão cada vez mais buscando dados íntegros e com qualidade para auxiliarem na tomada de decisões estratégicas e geração de valor, isso porque, elas estão reconhecendo os dados como um ativo da organização suportando a tomada de decisões nos negócios. Os resultados da análise de Inteligência são usados para desenvolver previsões de comportamento ou de ações recomendadas a serem adotadas pelas lideranças de uma organização, país ou indústria.

Devido a essa crescente necessidade, se torna imprescindível a existência de processos inteligentes e automatizados que garantam a entrega da informação de maneira segura e confiável. Para que isso seja possível existe o Analista de BI. Ele é quem consegue responder questões como essas: Como essas informações devem ser coletadas? É possível consolidar informações de diferentes origens? Como devem ser tratadas e armazenadas? Existem ferramentas apropriadas? Como garantir a qualidade? Como desenvolver processos performáticos e automatizados? Como garantir a governança destes dados?

As respostas para essas perguntas e tantas outras serão encontradas nesse artigo, e visam apoiá-lo na decisão de seguir ou não a carreira de um Analista de Inteligência de Negócio.

Problemas típicos enfrentados pelo analista de BI

Atualmente, as organizações precisam de informação para se manter competitivas e entregar valor para seus clientes e parceiros. Contudo, para que seja possível gerar informação segura e de qualidade o analista de inteligência de negócio deve se ater aos seguintes problemas:

  • Cultura da organização;
  • Singularidade do negócio;
  • Entendimento das necessidades da organização;
  • Múltiplas origens dos dados;
  • Diversidade de tecnologias sistêmicas;
  • Disponibilidade dos usuários;
  • Investimento em Tecnologia;
  • Segurança das aplicações;
  • Conformidade com órgãos reguladores;
  • Soluções que não utilizam padrões de mercado;
  • Necessidade de integrações com diversas soluções legadas na própria organização e de parceiros;
  • Problemas na definição do escopo dos projetos relacionados aos requisitos de negócio e arquiteturais;

Perfil comportamental do profissional de análise de inteligência de negócios

Um profissional que deseja se tornar um Analista de BI precisa desenvolver habilidades para resolver os desafios que a posição lhe compete:

  • Comunicação: Saber expressar e se fazer entender são pontos cruciais para o sucesso. Ter clareza na definição de premissas para execução de atividades, habilidade para comunicar e definir escopos e riscos, buscando apresentar as soluções de Inteligência em uma linguagem direta e objetiva, que tanto o sponsor quanto às áreas interessadas entendam.
  • Pacificador: O Analista de BI tem uma tarefa árdua, porém gloriosa: é ele quem faz a ponte entre o sponsor e as áreas interessadas. Ele é a pessoa capaz de traduzir a regra de negócio para o mundo técnico. É ele o responsável por alinhar expectativas de quem paga o projeto com quem usa os entregáveis do projeto.
  • Liderança. O Analista de BI precisa ter perfil de liderança. É quem irá direcionar as soluções e conduzir as pessoas envolvidas. Ele precisa ser o maestro dessa orquestra para que tudo saia de acordo. Deverá dar posicionamentos adequados e seguros, além de orientar a equipe e as áreas interessadas.
  • Conhecimento técnico. O Analista de BI tem que ter conhecimento técnico abrangente, não apenas conhecer o desenho da solução. Ele também é responsável por garantir que a solução seja desenvolvida dentro do melhor escopo, com o melhor esforço possível e com a tecnologia adequada.
  • Atitude (Fazer acontecer). O Analista de BI não é um mero contribuinte ou participante, ele é efetivamente quem faz as coisas acontecerem.  É ele quem possui o raciocínio lógico, é ele quem define processos, desenha modelos de soluções e é ele quem detém o conhecimento do negócio e técnico, por tanto, sem ele as coisas não funcionam.

Áreas de conhecimento técnico necessárias

O profissional precisa dominar áreas de relevância para conseguir exercer as atividades dessa carreira, já que o Analista de BI deve possuir conhecimento nas áreas:

  • Gestão de Pessoas
    O profissional precisa dominar a comunicação pessoal através de técnicas de liderança, negociação e gestão de conflitos. O Analista de BI também deve ser capaz de estabelecer um planejamento estratégico para buscar autoconhecimento, buscando mapear as forças, fraquezas, oportunidades e ameaças que são inerentes a qualquer projeto na área de Inteligência  de Negócio.
  • Business Intelligence, Business Analytics e Big Data
    A análise de Inteligência se desenvolve usando uma ampla gama de fontes de informação disponíveis, e avalia informações para responder às necessidades estabelecidas pelos que possuem poder de decisão e liderança, a fim de auxiliar na tomada de decisão. O Analista de BI precisa ter conhecimentos consolidados das principais tecnologias que atualmente entregam para o negócio condições de explorar e avaliar a informação. Business Intelligence, Business Analytics e Big Data são hoje os pilares conceituais e tecnológicos que direcionam as estratégias de gestão de informação no mundo atual. O Analista de BI precisa ter em seu portfólio profissional o maior domínio possível destes conceitos e tecnologias para endereçar a melhor solução para sua organização.
  • Governança de Dados
    Quando uma organização consegue transformar dados em informação, esta se transforma no ativo mais valioso da Organização. Uma gestão de dados tem a função de orientar e zelar por todos os modelos de dados criados em projetos novos e por manter a atualização e qualidade dos modelos de dados antigos. A preocupação crescente com privacidade, segurança e utilização efetiva dos dados fez da gestão da informação uma das atividades mais críticas das Organizações. É dever do Analista de BI zelar pela Governança dos dados da sua organização, visto que o dado é o ativo mais importante dela.
  • Segurança da Informação
    O profissional que assume o papel de Analista de Inteligência deverá ter uma noção sobre segurança da informação, pois este trabalhará diretamente com as bases de dados dos clientes, as quais possuem informações sigilosas sobre o negócio da Organização.
  • Conhecimento em estratégias de negócio
    O profissional que dominar conhecimento das áreas de negócio e buscar o alinhamento entre as soluções a serem desenvolvidas e os objetivos das organizações, terá sucesso em seus projetos.

Competências

Um profissional que almeje o papel de Analista de BI precisa ter em mente quais são as competências técnicas que mais serão exigidas para esse perfil. Nesse sentido, podemos elencar como essenciais:

  • Produzir resultados técnicos e de negócio satisfatórios: Analista de BI não pode contentar-se com resultados que não sejam satisfatórios e deve sempre buscar a melhoria contínua das entregas técnicas e componentes utilizados nos projetos de solução.
  • Possuir visão estratégica de negócio: Alinhar o que as áreas de negócio das organizações esperam de TI é um dos maiores desafios para um Analista de BI. Entregar solução que agregue valor e esteja claramente alinhada para suportar os processos de negócio primário das organizações é seu principal objetivo.
  • Enfrentar os problemas gerados no projeto: O Analista de BI deve ser aquele que não pode ter medo dos problemas gerados nos projetos de solução. Deve sempre encará-los de frente, avaliando suas possíveis causas raízes, bem como as soluções de contingência e definitiva ao longo do projeto de solução.
  • Influenciar, Colaborar e Democratizar Decisões: O  Analista de BI deve saber ouvir sua equipe no que tange a construção de uma arquitetura de solução. O envolvimento da equipe é fundamental, pois todos precisam acreditar naquilo que será proposto. Contudo, mais de um caminho surgirá para escolha, e é nesse momento que o Arquiteto precisa assumir e guiar o time para o que ele acredita ser o melhor caminho para atingir os melhores resultados esperados para o projeto de solução.
  • Inovar: O Analista de BI precisa estar aberto para inovações e tendências de mercado. Ele deve ser um dos profissionais que mais acompanha as novidades tecnológicas lançadas pelo mercado. É importante que ele tenha em mente quais componentes de solução estão em alta, quais estão em desuso e quais devem ser evitados na construção de uma arquitetura de solução.
  • Buscar aprendizado contínuo: O Analista de BI deve estabelecer mecanismos de feedback para identificar quais áreas de conhecimento precisam ser melhoradas. Além disso, não existe conhecimento congelado, pois o profissional que se julga sênior e assume uma zona de conforto não sobrevive no atual mercado de trabalho.
  • Aceitar a utilização de sistemas legados: As organizações atuais já possuem uma infraestrutura de aplicações diversificadas e o Analista de BI deve conhecer bem produtos de mercado para soluções como ERP, CRM, Gestão de Identidades, Soluções de BPMS (Business Process Management), pois suas soluções com certeza terão que se comunicar com todo esse ecossistema tecnológico.

Tarefas e atividades que o especialista em inteligência de negócios realiza

O principal objetivo de um Analista de BI é conseguir entregar soluções que atendam as expectativas do negócio, mas sem deixar de lado requisitos arquiteturais. Isso significa que ele é o responsável por garantir que a solução entregue os requisitos funcionais de valor para o cliente aliado a segurança, escalabilidade, disponibilidade, desempenho, usabilidade.

Um Analista de BI passa grande parte do tempo em reuniões com o time de desenvolvimento e com seus clientes. Nessas reuniões, ele é o responsável por comunicar os condutores e direcionar o time em decisões arquiteturais que suportam todos os componentes escolhidos para a solução. Essa defesa é realizada tanto no aspecto técnico como de negócio, onde custo, prazo e escopo delimitam suas fronteiras para a escolha de qual caminho tomar.

Dentre as atividades de um Analista de BI, podemos destacar a lista abaixo:

  • Identificar e modelar requisitos de negócio;
  • Definir e direcionar arquiteturas para a solução;
  • Buscar novas soluções e inovações.
  • Realizar estimativas de esforço e prazo para apoiar o gerente de projetos;
  • Realizar PoC (Proof of Concept) para validar implementações de referência;
  • Selecionar componentes de solução como frameworks, bancos de dados, servidores de aplicação, etc para a solução;
  • Garantir que a arquitetura proposta está sendo seguida;
  • Apoiar o time de desenvolvimento na resolução de problemas;
  • Participar de reuniões técnicas com a equipe;
  • Participar de reuniões com os clientes;
  • Ser responsável por todas as decisões técnicas do projeto;
  • Estabelecer critérios e componentes para a segurança da solução;
  • Gerir riscos técnicos;

Também é importante destacar que um Analista de BI não vive em uma ilha. Ou seja, na definição de uma arquitetura de uma solução, o Analista de BI sofre influências de outros papéis. Por exemplo, as áreas de negócio o influenciam diretamente através da definição de metas de negócio. A área técnica o influencia diretamente com definições de governança como o estabelecimento de produtos de parceiros a serem utilizados.

Comparação com outros perfis profissionais

A escolha de uma carreira direcionada a estudos para o trabalho como Analista de BI deve ser avaliada com bastante clareza, pois atualmente temos diversos papéis que atuam com Tecnologia e Informação. Alguns desses papéis possuem áreas de sombra com as responsabilidades de um Analista de BI e outros não.

Muita gente tem inicialmente a ideia de que um Analista de BI é similar a um Cientista de Dados. Mas seus perfis estão longe de serem iguais. Eles podem ser complementares.

Observando abaixo, temos uma comparação entre o perfil do Analista de BI com Cientista de Dados através de dois gráficos polares os quais abordam as dimensões envolvidas em cada perfil.

Analista de BI

Cientista de Dados

Pode-se observar que um Analista de BI deve ter uma formação muito forte em Gestão e Informação, ou seja, conhecimentos em:

  • Arquitetura de Business Intelligence;
  • Processos de Extração e tratamento da Informação;
  • Gestão de pessoas;
  • Tecnologias para gestão da Informação;

Já o Cientista de Dados deve ter uma formação muito forte em Tecnologia e Ciência de Dados, ou seja, conhecimentos em:

  • Manipulação de grandes massas de dados;
  • Big Data;
  • Engenharia de soluções de Software;
  • Tecnologia da Informação;

Conclusão

Ao optar pela carreira de Analista de BI é importante ter em mente que, como qualquer outra profissão, não será uma tarefa fácil. Os profissionais que já passaram por outros papéis como Analista de Negócio, Analista de Sistemas, Líderes Técnicos, DBA, com certeza terão uma bagagem que facilitará essa caminhada.

O sucesso para um profissional na área de tecnologia da informação está na sua busca por conhecimento e aprimoramento. Sempre se atualizando e inovando.

Pode-se afirmar que a profissão de Analista de BI é o topo de uma pirâmide que exigirá muita dedicação, conhecimento técnico e iniciativa, pois se tratando da área de exatas, Tecnologia da Informação é uma das carreiras mais cobiçadas na atualidade.

Fonte

Professora autora: Fernanda Garro