IGTI Blog
Conheça melhor a carreira do especialista em alinhar necessidades do negócio e possibilidades tecnológicas exigidas

Os Desafios do Novo Profissional de Infraestrutura de TI

Conheça melhor a carreira em Infraestrutura, o especialista em alinhar necessidades do negócio e possibilidades tecnológicas exigidas

Professor autor: Paulo Nascimento

A área de Tecnologia da Informação, dentre as profissões modernas, é uma das que mais sofre transformações em um curto período de tempo. Talvez reflexo da famosa Lei de Moore (conceito estabelecido nos  anos 60 apontando que a capacidade de processamento dobra a cada 18 meses), o fato é que as inovações em TI surgem a uma velocidade que muitas vezes dificulta seu acompanhamento na rotina. Este dilema é enfrentado em especial por profissionais de infraestrutura, o que não quer dizer que seja uma área de atuação estressante ou que necessite de super-humanos para encará-la. Pelo contrário, é uma área desafiadora e que instiga a inovação constante, e que permite que o profissional caminhe por outras áreas, além da tecnologia.

Problemas típicos enfrentados em Infraestrutura

Muito se fala do famoso alinhamento de TI com Negócios e talvez seja um dos mantras mais praticados entre os gurus de tecnologia e negócios. Mas na prática, o que isso quer dizer? Acredito que todos têm consciência que as empresas são organismos vivos que, assim como o corpo humano, precisa de cooperação entre os órgãos. Um coração ou cérebro sozinhos não fazem um ser humano sobreviver. Igualmente, uma área de marketing ou uma área de TI sozinhas não fazem a empresa sobreviver. É preciso que as áreas da empresa cooperem entre si e para que isso funcione adequadamente é necessário que uma área compreenda bem o papel de outra dentro da empresa e faça o possível para que esse papel seja cumprido sem entraves burocráticos ou desnecessários.  Neste sentido, o profissional de infraestrutura de TI enfrenta no seu dia a dia problemas relacionados à diversas disciplinas técnicas e gerenciais, entre elas:

  • Alinhar a disponibilidade dos serviços com as necessidades do negócio: o profissional de infraestrutura precisa entender e praticar as melhores formas de ajudar as áreas de negócios, utilizando TI como ferramenta.
  • Reduzir os custos de manutenção da infraestrutura: haverá sempre a cobrança por redução de custos, o que implica diretamente em redução do TCO da TI.
  • Melhorar a resiliência da infraestrutura: uma das métricas mais importante da infraestrutura de TI é o SLA. Melhorar a resiliência interfere diretamente, de forma positiva, no SLA da área.
  • Justificar o ROI da infraestrutura: Não existe almoço grátis. Cavala que anda, come. Portanto, tudo que é investido em TI deve voltar para a empresa, direta ou indiretamente.
  • Garantir as políticas de segurança da informação: boa parte das questões envolvendo segurança da informação passam por operações de infraestrutura de TI.
  • Atender aos requisitos legais / compliance: o mundo está cada vez mais informatizado. Assim, decisões de negócios muitas vezes precisam estar em compliance com requisitos técnicos de infraestrutura.
  • Administrar ambientes de alta complexidade: aquele velho CPD com 2 máquinas e um ar condicionado não existe mais. Independente do porte da empresa, os ambientes estão cada vez mais complexos, com software, rede e hardware interligados e interdependentes.
  • Administrar a dependência do negócio com a TI: saber lidar com a ansiedade de usuários que estão cada vez mais dependentes de serviços de TI é um dos grandes problemas enfrentados pelos profissionais de infraestrutura de TI.
  • Gerenciar os riscos de TI: decisões estratégicas que podem colocar toda operação de uma empresa em risco, passam diariamente pela análise de profissionais de infraestrutura de TI.

Perfil comportamental do profissional

Nesse contexto é que surge a demanda do mercado por um profissional de infraestrutura com uma mentalidade global, que pense fora da caixa. Assim, espera-se que um profissional de infraestrutura de TI tenha como características comportamentais:

  • Conhecimento técnico: o conhecimento técnico em infraestrutura, obviamente, é importantíssimo. Sem ele não é possível tomar decisões técnicas acertadas, que permitem que a área funcione como um relógio, entregando o que se espera dela como produto final.
  • Visão 360o: aliado ao conhecimento técnico específico da área, o profissional de infraestrutura de TI precisa ter um conhecimento básico abrangente de outras áreas, correlatas ou não, como finanças, RH, gestão de projetos, governança e compliance, entre outras. Por exemplo, um profissional de infraestrutura que conheça conceitos financeiros como TCO (Total Cost of Ownership) ou ROI (Return on Investment) poderá poupar trabalho, encurtar passos de decisão e ser muito mais seguro ao propor, no exemplo citado acima, a viabilidade de se contratar o mesmo CRM na nuvem, no modelo SAAS (Software as a Service) ao invés de licenciar um software para instalação em seu próprio Data Center
  • Resiliência: não dá para mentir, a área de infraestrutura é onde se concentram muitos problemas. E daqueles de virar noites à base de pizza para conseguir resolver. Ser capaz de enfrentar esses problemas, sem “deixar a peteca cair”, é uma característica importantíssima esperada de um profissional de infraestrutura. Problemas em infra sempre irão acontecer, o que importa é a forma como você os trata.
  • Autodidática: procurar cursos de aperfeiçoamento da área, Pós, MBAs, etc. é essencial. Estes cursos lhe darão uma visão ampla do negócio e forma como melhor encarar seu dia a dia. Porém para enfrentar os incêndios da área, dificilmente haverá tempo hábil para um curso formal. No máximo um tutorial no Youtube (em inglês!). Portanto, no momento das crises, o profissional de infraestrutura de TI tem que “se virar” com o que tem e o que não tem para apagar o incêndio.

Áreas de conhecimento técnico necessárias

Pensando pelo lado estratégico da TI, o profissional de infraestrutura deve mesclar conhecimentos ligados à tecnologia com disciplinas de negócios, mas também estar alinhado com as principais ondas do mercado, que fatalmente serão trazidas pelos fornecedores com o objetivo de criar diferenciais estratégicos para a empresa. Falar a linguagem do mercado (seja cliente ou fornecedor) é um papel importante do profissional de infraestrutura e mostra um alinhamento com um discurso de transcender a empresa. Portanto, algumas das principais áreas de conhecimento técnico de um profissional de infraestrutura de TI são:

  • Data Center: conhecer todos os componentes de um Data Center (hardware, software, pessoas, redes), as questões ligadas ao SLA de Data Centers e suas camadas (Tiers), etc.
  • Virtualização de Servidores: imprescindível para um profissional de infraestrutura de TI conhecer as diferentes técnicas de virtualização de servidores, e os principais players desta área.
  • Virtualização de Desktops: cada vez mais comum como forma de melhorar o custo de operação de empresas. Importante conhecer os benefícios e fornecedores destas soluções.
  • Virtualização de Aplicações: assim como a virtualização de desktops, a virtualização de aplicações também é um assunto importante para o profissional de infraestrutura de TI.
  • Cloud Computing: “o futuro está na nuvem”, dizem os especialistas. E o presente aponta cada vez mais que eles estão certos. Isso passa por conhecer os principais tipos de nuvem (privada/pública/híbrida) e suas topologias (IAAS, PAAS, SAAS, etc.).
  • Redes de Telecomunicações: redes é um assunto bastante abrangente. Mas saber o básico de infraestrutura cabeada (par trançado e fibra ótica), wireless, roteamento, etc. é necessário para qualquer profissional de infraestrutura de TI.
  • Segurança da informação: boa parte das brechas de segurança de aplicações estão em vulnerabilidades de infraestrutura básica de TI. Assim, é importante para o profissional de infraestrutura conhecer onde ele pode ser o vilão de um ataque.
  • Outsourcing: boa parte das demandas de terceirização passa pela área de infraestrutura. A escolha de um provedor de BPO ou ITO, devem ser tarefas corriqueiras para um profissional de infraestrutura de TI, assim é importante conhecer as modalidades e diferenciais de cada modelo.
  • Big Data / Data Science: não adianta ter a melhor infraestrutura do mundo se não se sabe o que fazer com os dados. Big Data, Analytics, Data Science, Machine Learning, devem ser termos corriqueiros na vida de um profissional de infraestrutura de TI.

Competências

As principais competências esperadas de qualquer profissional, hoje em dia, também servem para o profissional de infraestrutura de TI. Assim, espera-se, em geral, que o profissional de infraestrutura de TI consiga desempenhar:

  • Capacidade de trabalho em equipe: não cabe mais nos modelos corporativos atuais, e isso se aplica bem à infraestrutura de TI, alguém que só consiga trabalhar sozinho. Os componentes de infraestrutura atuais estão todos interligados. Um problema em um serviço pode ter sua causa na rede, no storage, no ar condicionado ou até na arquitetura das construções. Assim, é imprescindível que o profissional de infraestrutura de TI consiga transitar bem com equipes de todas essas áreas.
  • Visão estratégica: como já falado, a atuação da TI já expandiu as fronteiras da TI. Assim, qualquer ação de um profissional de infraestrutura de TI deve ser tomada pensando nos impactos estratégicos. A execução de uma rotina de manutenção, por exemplo, deve ser pensada em termos do impacto da indisponibilidade do serviço que sofrerá manutenção e sua consequência na área usuário. Sempre!
  • Comunicação: Não existe mais espaço na área de infraestrutura de TI para o “bicho do mato”. Comunicação é condição para exercer bem o trabalho e conseguir manter o bom funcionamento da infra. Não é à toa que existe uma disciplina do ITIL que cuida exatamente disso.
  • Domínio do inglês: não é necessário nem estender sobre esse ponto. Toda boa documentação de infraestrutura de TI está em inglês. A maioria dos sistemas de suporte de grandes fornecedores (Oracle, Microsoft, Amazon, etc.) são através de tickets abertos nessa língua. Portanto, ler e escrever em inglês é condição básica. Falar é altamente recomendado.
  • Pensar fora do mundo técnico: tão importante quanto, ou mais importante, é a capacidade do profissional de infraestrutura de TI sair de seu mundo técnico, geek, escovador de bits, e entender que ele faz parte de um negócio, do qual a infraestrutura de TI é uma engrenagem extremamente importante, e que, se essa engrenagem não funcionar adequadamente de forma interligada com as demais engrenagens, o carro não anda.
  • Assumir papéis: a capacidade de conseguir “trocar o crachá” constantemente de técnico para analista, gestor, negociador, entre outros é uma das competências mais valorizadas em TI e uma das mais difíceis de se encontrar.

Tarefas e atividades que realiza

O papel de um profissional de infraestrutura de TI vai muito além de simplesmente ter a capacidade técnica de deixar todo hardware e software funcionando. Isso é o básico, deve sempre acontecer. Mas além disso, é um profissional que deve estar atento a questões como:

  • Garantir o funcionamento da infraestrutura de TI abrangendo seus processos e atividades rotineiras;
  • Garantir a inovação na área através de melhorias de processos ou produtos que possam trazer melhorias para a área e consequentemente para as áreas de negócio dependentes da infraestrutura;
  • Planejar e realizar atividades de suporte de infraestrutura de TI (servidores, desktops/notebooks, telefonia, Telecom, etc.);
  • Elaborar projetos como o PCN – Plano de Continuidade de Negócios ou o PRD – Plano de recuperação de desastres, que detalham como a área de infraestrutura irá suportar o negócio da empresa em caso de situações inesperadas.
  • Interagir e negociar com os principais fornecedores de infraestrutura de TI como servidores, telecom, apliances de rede, cabeamento, energia, resfriamento, etc.
  • Garantir que as soluções tecnológicas contratadas serão implementadas de acordo com as especificações de infraestrutura necessárias para o bom funcionamento das áreas de negócios.

Comparação com outros perfis profissionais

Apesar do profissional de infraestrutura de TI “avançar” em outras áreas de conhecimento de tecnologia, sua área de atuação tem características específicas que já exploramos. Dentro do mapa de TI na empresa, o profissional de infraestrutura é uma interface. Algumas vezes essa interface é terminal pois seus serviços são executados com a finalidade de prover os recursos para outra área ou serviços. Algumas vezes essa interface é de ligação, pois os serviços de infraestrutura são necessários para que dois ou mais áreas ou serviços possam se comunicar. Assim, dentro dos papéis apresentados aqui como características dos profissionais de infraestrutura de TI que são emprestados de outras áreas, é importante diferenciar o que se espera em termos de conhecimento destes perfis.

Apesar de serem áreas muito parecidas e, algumas vezes, conflitantes, o profissional de infraestrutura de TI tem seu foco em seu core business que é justamente a infraestrutura, algumas vezes, claro, sendo necessário adentrar em gestão da segurança, gestão de projetos, gestão de pessoas, ou gestão de TI.

Confira abaixo, na descrição dos programas de Pós-graduação do IGTI com foco na formação profissional, uma visão em alto nível das áreas de conhecimento que compõem os seguintes perfis profissionais:

Conclusão

Por tudo que foi visto, em resumo, percebemos que os melhores cursos de formação de graduação ou pós-graduação em infraestrutura de TI englobam disciplinas como Gestão de Pessoas, Técnicas de Negociação, Governança de TI (ITIL/CoBIT), Segurança da Informação, Gerenciamento de Projetos, entre outras.

Cursos como o MBA em Gestão de Infraestrutura de TI Como Serviço do IGTI possibilitam a formação de um profissional completo, com conhecimento técnico diferenciado em infraestrutura, mas, mais do que isso, que consiga encarar os desafios e o que se espera de uma TI que sabe dialogar com as áreas de negócios e que possa ser um diferencial estratégico para empresa.