IGTI Blog
A Estratégia na Prática: utilizando o Balanced Scorecard

A Estratégia na Prática: utilizando o Balanced Scorecard

Estratégia inclui uma série de pontos de vista, planos, padrões, posicionamentos e perspectivas. É necessário alinhar os conceitos e os objetivos organizacionais para a prática da estratégia.

Não existe uma definição única e universalmente aceita para estratégia. Inicialmente, deu-se ênfase especial ao uso militar, originada das mais antigas literaturas do mundo. Porém, o conceito de estratégia expandiu para o meio organizacional, ocasionando em uma série de pontos de vista, como plano, padrão, posição e perspectiva.

Estratégia é o padrão ou plano que integra as principais metas, políticas e sequência de ações de uma organização em um todo coerente. Uma estratégia bem formulada ajuda a ordenar e alocar os recursos de uma organização para uma postura singular, com base em suas competências e deficiências internas relativas, mudanças antecipadas no ambiente e providências contingentes realizadas por oponentes inteligentes.

Vantagens na adoção da Estratégia Organizacional

A estratégia empresarial é um processo da organização inseparável da sua estrutura, comportamento e cultura. Com a adoção da estratégia, temos algumas vantagens:

  • Fixa a direção: a vantagem do papel da estratégia é mapear o curso de uma organização para que haja uma navegação coesa através de seu ambiente; porém, a direção estratégica pode construir um conjunto de normas para ocultar perigos em potencial. Seguir um curso predeterminado para rumos desconhecidos pode colidir com pontos existentes;
  • Focaliza o esforço: a estratégia promove a coordenação de atividades. Sem a estratégia pode vir o caos, quando as pessoas espalham-se em diversas direções. A desvantagem é que, para que o pensamento grupal surja, é necessário um esforço excessivo;
  • Define a organização: a estratégia possibilita às pessoas terem uma forma coerente de entender sua organização e distingui-la das outras. Existe um risco de definição da organização com excesso de simplicidade;
  • Provê consistência: a estratégia é necessária para reduzir a ambiguidade e prover ordem. Porém, é preciso compreender que toda estratégia, como toda teoria, é uma simplificação que necessariamente distorce a realidade.

A elaboração da Estratégia

Uma estratégia define o posicionamento de uma organização em um momento futuro. Entretanto, seu planejamento não é tarefa trivial. A estruturação do plano estratégico, sugerida de várias formas por autores e consultores, é definida em termos de uma parte atemporal – a missão e a visão da empresa – e outra que é ajustada conforme o cenário e o posicionamento dinâmico adotado – metas e ações, incluindo fatores e indicadores de desempenho para acompanhamento.

Colocando a Estratégia em Prática

Para o devido aporte à formulação da estratégia foram desenvolvidas e difundidas algumas importantes metodologias e ferramentas, também no intuito de colocar em prática a estratégia das empresas, assim como fortalecer as vantagens competitivas. As ferramentas estabelecem alternativas para guiar o curso da ação do planejamento estratégico. A mesma organização pode adotar várias estratégias simultaneamente. Alguns exemplos de colocar a Estratégia em Prática, são:

    • Benchmarking
    • Elaboração das diretrizes
    • Análise SWOT
    • Canvas Business Model  
    • Diagrama de Pareto
    • Matriz Boston Consulting Group
    • PDCA
    • 5W3H
    • Balanced Scorecard

Implementação da Estratégia

Vencida a etapa de formulação das estratégias, é necessário iniciar a implementação da estratégia, que além da implementação, é necessária um adequado monitoramento e controle. Um dos principais atributos do plano estratégico é alinhar conceitos, estratégias e objetivos organizacionais na implementação da estratégia. É importante que cada componente da empresa possa partilhar e entender igualmente esses quesitos, pois é através desse entendimento que os esforços se alinham.

Os pontos em comum sobre implementação da estratégia, são:

  • Verificar o senso de urgência;
  • Formar um time coeso;
  • Comunicar a visão compartilhada;
  • Liderar;
  • Ter a quem delegar;
  • Obter vitórias no prazo estabelecido;
  • Consolidar as vitórias.

Balanced Scorecard

Várias metodologias de gestão foram e estão sendo desenvolvidas para os negócios organizacionais. Uma das principais ferramentas é o Balanced Scorecard (BSC)), criado em 1992 por Robert S. Kaplan (professor de contabilidade na Harvard Business School) e David P. Norton (presidente da Renaissance Solutions Inc.).

O BSC é uma ferramenta de planejamento estratégico que visa medir o desempenho empresarial através de indicadores quantificáveis e verificáveis. Usa suas funções para traduzir a visão e estabelecer como alcançar as metas. O BSC está voltado para o futuro, pois visa o melhoramento interno, o investimento nos funcionários de todos os níveis e o desempenho em longo prazo. O BSC trabalha com quatro perspectivas:

  • Financeira: representa o ponto de vista dos gerentes, diretores sobre os acionistas;
  • Cliente: ponto de vista de fonte externa de receitas, identificando os segmentos de mercado visados e as medidas do êxito da empresa;
  • Processos internos: ponto de vista das pessoas que executam o trabalho;
  • Aprendizado e crescimento: pessoas, os sistemas e os procedimentos organizacionais. É a base para a obtenção dos objetivos das outras perspectivas

Deve ser seguida uma metodologia para criação do BSC, que engloba:

  • Definição da arquitetura dos indicadores
  • Consenso em função dos objetivos estratégicos
  • Escolha e elaboração dos indicadores
  • Elaboração do plano de implementação

Os criadores do BSC chegaram a uma constatação ao longo da década de 1990, que o BSC estava sendo usado pelas empresas, na prática, para solucionar um problema além da mensuração de desempenho. Ou seja, para responder: como tornar a estratégia a agenda central e operacional da organização? Desta forma, criou a definição: organização orientada para estratégia.

Para visualização e prática do BSC pode ser utilizado o recurso das planilhas Excel ou mesmo sofisticados softwares disponíveis no mercado. O acompanhamento através do BSC tem se mostrado bastante útil. Alguns softwares de gestão, baseados no conceito do BSC, em muito têm tornado o processo mais acessível e rápido para os gestores. Usando interfaces gráficas que muitas vezes simulam um painel de instrumentos, esses sistemas proporcionam informações em tempo real sobre o andamento de cada uma das ações propostas para o atingimento dos objetivos definidos no plano estratégico.

Professor autor: Fernando Zaidan