IGTI Blog
BPM

Potencializando sua carreira em BPM

A área que envolve o Business Process Management (Gerenciamento de Processos de Negócios – BPM) é uma das áreas emergentes e de crescimento mais rápido no setor de TI, assim como no setor de negócios, oferecendo uma carreira empolgante para os profissionais, pois abrange os domínios de tecnologias e negócios.

Diversos clientes corporativos estão implementando ativamente as soluções de BPM e observando uma melhoria na maneira como gerenciam várias etapas do negócio. Muitas empresas estão aumentando sua capacidade produtiva, identificando melhorias, conquistando vantagens competitivas, entregando projetos dentro do prazo e custo estabelecidos, sem sair do escopo acordado.

Mas, o que é BPM? O BPM é uma maneira de analisar e controlar os processos que estão presentes em uma organização. É uma metodologia eficaz para garantir que os processos sejam eficientes e eficazes. O resultado são organizações organizadas por processos. O termo gerenciamento de processos de negócios abrange como estudamos, identificamos, modificamos e monitoramos processos de negócios para garantir que eles sejam executados sem problemas e possam ser aprimorados ao longo do tempo. Podemos dizer que é uma jornada.

BPM é melhor pensado como uma prática de negócios, abrangendo técnicas e métodos estruturados. Não é uma tecnologia, embora existam tecnologias no mercado que carregam o descritor por causa do que elas permitem: ou seja, identificar e modificar processos existentes para que eles se alinhem com um futuro estado desejado, supostamente aprimorado.

Voltemos então a carreira em BPM, nosso foco. Com todos os novos desenvolvimentos acontecendo no mundo da Indústria 4.0, o BPM é um domínio empolgante para se trabalhar. Para construir uma carreira na indústria de BPM, precisa da capacitação técnica, mas as habilidades analíticas são mais cruciais.

Então, conhecer tecnologias (uma ou mais) é fundamental. Vamos citar apenas uma delas: o Bizagi. O Bizagi possui uma plataforma (parte free/parte paga), disponível em diversas línguas, com três produtos:

– Bizagi BPMN Modeler: é um aplicativo freeware para diagramar, documentar e simular graficamente processos no formato padrão Business Process Model and Notation (BPMN);

– Bizagi Studio: é uma solução freeware Business Process Management (BPM) que permite às organizações criar (automatizar) processos de negócios e fluxos de trabalho;

– Bizagi Engine: (solução paga) pega os processos previamente modelados e automatizados e os executa em toda a organização. Gostaria que ficasse claro que estes detalhes sobre o Bizagi são apenas para que você leitor, tenha contato com uma tecnologia, pois não faz parte do artigo qualquer tipo de propaganda direcionada.

Complementando a tecnologia, conhecer BPMN é imprescindível. A notação para modelagem de processos de negócios (Business Process Model and Notation) é o padrão que fornecerá às empresas a capacidade de entender seus procedimentos (processos) de negócios em uma notação gráfica, e dará a capacidade de comunicar esses procedimentos. Isso garantirá que as empresas se entendam e participem de seus negócios e permitirá que as organizações se ajustem rapidamente às novas circunstâncias.

A beleza de um trabalho de BPM é que ele dá oportunidade de trabalhar em áreas específicas de tecnologia e negócios. Agora vamos as habilidades analíticas, tão necessárias para solucionar problemas, bem como para pensar em soluções para os clientes.

E quais são as habilidades para potencializar sua carreira em BPM e o caminho a ser percorrido?

  • Conhecimento nos domínios dos negócios: com o crescimento da maturidade do gerenciamento de processos de negócios, fica mais claro a necessidade do profissional conhecer diversas áreas. Estes profissionais são os mais valorizados. Apenas alguns exemplos de áreas: saúde, varejo, supermercado, bancária, seguros, energia, automobilística, mineração, educação, finanças, dentre outras.
  • Saber buscar as informações: um dos primeiros passos para o gerenciamento de processos de negócios é o profissional saber onde a informação está. Obter informações é o ponto de partida. Muito do restante envolve primeiro solicitar as informações de que você precisa e, depois, ter essas informações comunicadas em um formato imediatamente utilizável.
  • Soft Skills: cada vez mais valorizadas, as habilidades não técnicas vêm ganhando espaço no momento das contratações e parcerias. Habilidades de comunicação e escrita, habilidades interpessoais, gerenciais, liderança, soluções de problemas rapidamente.
  • Proficiência no inglês: desnecessário nesta lista, de tão importante que é! Mas, coloquei aqui para ficar reforçado o conhecimento na língua inglesa.
  • Dados corporativos e Analytics: estudo de dados corporativos usando análise estatística para encontrar tendências e históricos, evidências para tomada de decisões. O objetivo é ajudar os clientes a prever e melhorar os negócios no futuro. Associados a domínio, têm-se a matemática, pesquisa operacional, estatística e probabilidade. Alguns campos dentro da área de Analytics são gerenciamento de decisão empresarial, análise de marketing, ciência preditiva, análise de risco e análise de fraudes.
  • BI – Business Intelligence – inteligência de negócios: lidar com a vasta quantidade de dados, que realmente tenham valor para as empresas, para que a tomada de decisão seja mais assertiva. Considerar maneiras pelas quais uma empresa pode desenvolver novas políticas em relação à coleta de dados e às metodologias de análise de dados, incluindo a garantia da integridade do uso de dados.
  • Conhecimento em CRM: o Gerenciamento de Relacionamento com Clientes (Customer Relationship Management – CRM) envolve todos os aspectos de interação que uma empresa tem com seu cliente, sejam vendas ou relacionados ao serviço, através de qualquer mídia. É principalmente o processo de gerenciar e resolver todos problemas dos clientes. Necessita de ampla compreensão da indústria e do domínio, bem como do produto e portfólio de serviços para auxiliar e possibilitar a rápida resolução.

Veja também: O perfil e os desafios da carreira do Analista de Processos

  • Serviços de TI e Helpdesk e Service Desk: conhecer o suporte em produtos / sistemas de tecnologia para responder efetivamente às consultas dos clientes, que podem ser simples ou de natureza complexa, diagnosticando-as e, assim, resolvendo problemas do cliente.
  • Governança: pode ser definido como o sistema pelo qual as entidades são direcionadas e controladas. Está preocupado com a estrutura e os processos de tomada de decisão, responsabilidade, controle e comportamento. A governança influencia como os objetivos de uma organização são definidos e alcançados, como o risco é monitorado e tratado e como o desempenho é otimizado. É uma abordagem sistemática que incorpora o planejamento estratégico, o gerenciamento de riscos e o gerenciamento de desempenho. Como a cultura, é um componente central das características únicas de uma organização de sucesso.
  • Compliance: o termo conformidade descreve a capacidade de agir de acordo com um pedido, conjunto de regras ou solicitação. Saber identificar os riscos que uma organização enfrenta e aconselha sobre eles. Projetar e implementar controles para proteger uma organização contra esses riscos. Monitorar e relatar a eficácia desses controles no gerenciamento da exposição de uma organização aos riscos.
  • Para fechar, Gestão da Qualidade: a gestão da qualidade é o ato de supervisionar diferentes atividades e tarefas dentro de uma organização para garantir que os produtos e serviços oferecidos, bem como os meios utilizados para alcançá-los, sejam consistentes. Isso ajuda a alcançar e manter um nível desejado de qualidade dentro da organização.

Pode parecer muito conhecimento a ser adquirido ou desenvolvido (e concordo que é!), mas estou sendo sincero, pois almejar a carreira de BPM vai muito além de fazer a modelagem de processos de negócios. Precisa tudo isso de uma vez? É claro que não. Trace seu caminho, potencialize sua carreira e boa sorte!

Professor autor: Fernando Hadad Zaidan